DSC_3516Foi precisamente no dia 21 de Agosto de 2013 que o músico Max Love foi barbaramente assassinado pela guarda pessoal do governador da Zambezia, Joaquim Veríssimo, quando celebrava a reeleição do Edil Manuel de Araújo, para a condução do destino colectivo de Quelimane e de todos que nela residem.

O caso encontra-se na procuradoria provincial da Zambezia onde se espera ansiosamente pela responsabilização criminal do individuo que baleou mortalmente aquele musico, contudo ate aos dias que correm nenhum resultado foi anunciado sobre o provável assassino do artista.

No dia 21 de Agosto de 2014 data em que se celebrou mais um aniversario de eterna saudade, munícipes da autarquia, lideres religiosos, activistas dos direitos humanos, sociedade civil e dirigentes da edilidade juntaram-se numa marcha pedestre nas varias artérias da cidade de Quelimane em protesto contra a não responsabilização daquele macabro crime.

DSC_3518

Manuel de Araújo, Presidente do Conselho Municipal de Quelimane que falava no acto de homenagem a aquele artista disse referiu que “Desde 1994 sistemática e ciclicamente as nossas eleições são baptizadas com sangue de inocentes! Assim foi em 1994, assim foi em 1999, assim foi em 2004, assim foi em 2011 e como não deixaria de ser assim foi em 2013 e 2014. Neste país que se pretende democrático a nossa festa eleitoral é sempre seguida de violência, mortes, luto e sangue! Sempre que há eleições a festa que as deveria caracterizar num estado de direito democrático é transformada em luto para muitas famílias! Enquanto uns celebram as vitórias com gargalos de champanhe outros as testemunham com o sangue de seus entes e queridos! Foi assim em Montepuez onde cerca de 40 apoiantes da Renamo morreram asfixiados numa penitenciaria.  Foi assim em Mocimboa da Praia quando também apoiantes da Renamo foram enviados desta para o melhor por terem ousado desafiar o poder. Foi assim em Sofala este ano onde um jovem foi baleado por ter cumprido com o seu direito cívico de denunciar uma fraude.  As mesmas mãos assassinas que na década 1960 e 1970 liquidaram durante a luta armada irmãos nossos como Filipe Magaia, Razão, Simango, Celina, na década 1980 e 1990 voltaram a atacar, quais monstros selvagens ( vampiros que se alimentam de Sangue) e levaram as vidas de Carlos Cardoso, Siba-Siba Macuacua, continuam a trazer luto e dor a famílias moçambicanas! E quando pensávamos que a sua sede e saga sanguinária estava satisfeita eis que para sacia-la inventaram a guerra de Satungira e  Muxungue onde dezenas de moçambicanos perderam suas vidas e seus bens!  Como explicar o silêncio cúmplice das autoridades políticas, governamentais, jurídicas, parceiros de Cooperação e quiçá a sociedade civil?

Leia também: MENSAGEM POR OCASIÃO DO 6º MÊS DA MORTE DE MAX LOVE

There are no comments yet.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: