Prevê-se o inicio da construção da linha férrea Macuse-Moatize e o porto de águas profundas de Macuse entre os meses de Julho e Agosto de 2016.

Até finais deste ano será lançado o concurso público para adjudicação das obras ao consórcio que irá erguer a imponente infra-estrutura. No momento de execução segundo informou o PCA do Corredor de Desenvolvimento Integrado da Zambézia (CODIZA), Abdul Carimo, o projecto devera absorver 99% da mão-de-obra local.

“O Corredor de Macuse vai potenciar o vale do Zambeze, vai permitir a circulação de navios de 80 mil toneladas, essa infra-estrutura logística vai oferecer aos clientes condições muito mais competitivas para Moçambique, vai potenciar toda a região do vale do Zambeze, principalmente os investidores que hoje não investem na Província da Zambézia por falta de logística, sendo meios de importar os seus equipamentos e exportar os seus produtos deixarão de ter esses problemas e passará a ser um grande incentivo para que venham investir na província da Zambézia”-afirmou Abdul Carimo.

Abdul Carimo Issá, apelou aos líderes políticos a terem na sua agenda a importância daquele corredor, a sociedade empresarial que esteja atenta para não ser surpreendida com oportunidades de negócios colaterais, segundo defende é preciso que o tecido empresarial local possa tirar vantagens comparactivas.

There are no comments yet.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: