Moçambique esta a dar passos bastante galopantes a caminho da insustentabilidade da divida externa, considerou esta segunda-feira em Quelimane, o académico Carlos Nuno Castel-Branco, durante a palestra que orientou no Salão Nobre do Conselho Municipal de Quelimane subordinada ao tema: “Dilemas e desafios económicos.

Segundo o Orador a divida externa alimenta expectativas, o pais precisa de ir eliminando enquanto cedo sob o risco das gerações vindouras pagarem um preço bastante caro ou o pais estar refém da divida.

Com a divida que o pais tem há riscos de cortes de despesas na Educação, saúde, abastecimento de água e outros serviços básicos como a segurança pública.

“Hoje há cada vez mais cidadãos que preferem comprar a segurança privada para sua protecção aguardar pelos serviços da Policia nacional”-Castel Branco do IESE.

Para que Moçambique não avance para essa proeza urge a necessidade de se reverem as políticas de endividamento público interno e externo, os capitais, as exportações, o papel do Estado e outras medidas.

Castel Branco é Professor Associado em Desenvolvimento Economico e Industrialização na Universidade Eduardo Mondlane e membro do Instituto de Estudos Sociais e Económicos.

Comments (1)

  • Alexandre Massingue

    Uma apreciaçao necessaria. Parabens ao academico

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: