Na realidade o que acontece quando se fala de carnaval, é a sensação de festa, folia e ate algazarra.

Mas pela primeira vez e na história do carnaval, a colisão entre festa e solidariedade elevou o nível de um carnaval chuabo, de mãos dadas com as vítimas das enxurradas.

Queremos lembrar aos nossos leitores neste editorial que nem sempre dança significa alegria; mas como se pode consolar uma alma triste se na minha alma transporto o dobro da tristeza?

Na nossa singela opinião, o carnaval 2013 foi de facto uma festa; uma festa para desanuviar o espírito, uma festa em que todos festejaram, ate aquele que viveu efectivamente o drama das chuvas.

Como sempre se diz, não se pode parar a vontade da natureza. Mas como parar algo que para além de tradicional nos é consanguíneo?

O nosso carnaval, o carnaval Chuabo é uma festa de demonstração de modus vivendi para qualquer um que se ligue a terra dos Bons Sinais e sinta esta hospitalidade em todas as esferas sociais deste povo acolhedor.

O carnaval de Quelimane, o melhor carnaval de Moçambique, 2013, teve maus-olhados por algumas pessoas, por se realizar numa época em que as chuvas acabavam de fazer a sua parte, deixando milhares de pessoas sem tecto.

As perguntas que se colocavam eram: “Como pode ser possível festejar numa altura em que a tragédia embateu-se sobre Quelimane e arredores?”

Na nossa singela opinião, queremos trazer aqui dois pontos;

O primeiro é que para se realizar um carnaval daquele gabarito, o Conselho Municipal e seus parceiros já haviam gasto grandes somas de dinheiro e como vos sabeis, ninguém prevê as intempéries.

O segundo, a festa do referido carnaval, foi fundamental para aquisição de donativos para apoiar as vítimas das enxurradas, o que alias, fez com que a festa fosse solidária. Solidificou-se a cidadania, saíram reforçados os laços dos moçambicanos, numa manifestação clara de que ajuda (pode) e deve vir de nos próprios. O carnaval revelou-se como um dos momentos “mais” no exercício do presente mandato, ao de uma só vez aglutinar a arte, o amor ao próximo e acima d e tudo o espírito de solidariedade.

Fazendo jus ao que terá dito o edil de Quelimane, Manuel Araújo “foi um carnaval difícil darmos terminus a esta actividade de folia, este convívio dos munícipes de Quelimane a esta festa, dança e a este convívio que só Quelimane pode faze-lo também, com tanta qualidade e energia e entusiasmo ate a chuva rendeu-se a forca e a vontade dos munícipes de Quelimane. E prosseguindo, o carnaval chuabo continua a ser não só o maior mas também o melhor carnaval de Moçambique.

There are no comments yet.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: