A Associação de Artistas Plásticos da Zambézia voltou a abrir as portas este final de semana depois de cerca de 19 anos inactiva . A aquela fusão de artistas iniciou as suas actividades nos anos 80 tendo por tempo indeterminado encerrado as portas por motivos ainda não avançados pela sua direcção. Contudo esta sexta-feira foi reactivado o movimento com o mesmo ideal que sempre a norteou, através das telas e pinceis mostrar as emoções e percepções da vida. O Vice- Presidente, Emiliano Varela de Barro, carinhosamente tratado por Mínio nos meandros artísticos, disse que “não só se pretende envolver os artistas plásticos, como também artistas de outras expressões, como a música, literatura, dança…”.

A arte em Moçambique desde sempre tem sido um forte vinculo de transmissão de mensagens educativas mas também de luta contra a opressão racial e ideológica. Para aquela colectividade o “renascimento” da Associação vai ajudar a pintar a história de Quelimane, segundo defendem essa iniciativa precisa de amantes e apoios para que não mora. O papel de mulher na sociedade, táxi-ciclistas que tem tido um papel predominante no transporte pessoas e bens na autarquia, a luta pela sobrevivência, o combate ao estigma e discriminação racial serão temas que mereceram abordagens em muitas obras.

É possível viver da Arte?

Felisberto Domingos Xavier, Director artístico da Associação de Artistas Plásticos da Zambézia, defende que “depende da força de vontade, os artistas podem ir longe bastando para isso centrar-se nos objectivos e é possível fazer boas receitas através da arte .” 

Felisberto refere que o ressurgimento da associação constitui uma mais valia e um ganho imensurável para os artistas plásticos de Quelimane que para além de unir os artistas facilita a localização dos mesmos permitindo uma organização ainda maior e motiva os novos artistas a si entrosar em educação artística. “Esta associação permite localizar os artistas para qualquer visitante, antes os artistas estavam dispersos e a associação veio unir os artistas plásticos da Província e em particular do Município de Quelimane”.

Associação de Artistas Plásticos da Zambézia conta actualmente com 15 membros dos quais treze artistas plásticos e dois artesões. A Associação apela a sociedade a ter uma educação artística, as pinturas artísticas não só reflectem a mensagem, mais também permite ornamentar as suas casas.

Galeria de Imagens 

There are no comments yet.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: